Obreiros da Linha da Frente”Um Ministério difícil e perigoso, mas que precisa ser feito!“

Em muitas nações, basta professar a fé em Jesus Cristo para resultar em perseguição severa. Na Coreia do Norte e em alguns países islâmicos de linha-dura, essa confissão de fé pode resultar na sua morte. Mas existe dentro da nossa família perseguida aqueles que são os grandes alvos dos perseguidores – os nossos irmãos que trabalham na Linha da Frente da batalha.

São homens e mulheres que são chamados a servir, edificar a igreja, evangelizar (até mesmo os seus perseguidores), fazendo a distribuição de Bíblias e folhetos em alguns dos lugares mais hostis do mundo. A Voz dos Mártires, junta-se com mais de 30 mil obreiros da “Linha da Frente” em mais de 60 áreas hostis e nações restritas, dando a assistência que eles necessitam.

Sempre que atendemos algum dos nossos irmãos e irmãs que trabalham diligentemente na Linha da Frente, ficamos espantados com a sua humildade, vontade de servir a Deus e com a alegria que demonstram nos seus rostos corajosos. Cada vez que perguntamos aos obreiros da Linha da Frente, como podemos ajudar-lhes, eles sempre nos respondem: “Orem por nós.” Eles sabem que nós compartilhamos os seus testemunhos para a Igreja do ocidente, e que muitos irmãos estão a orar por eles em toda a parte do mundo.

Estes trabalhadores não temem a perseguição e sabem que quanto mais pessoas levarem a Cristo, mais perseguição irão sofrer e, possivelmente até a morte. No Irão, os nossos obreiros da linha da frente sabem por exemplo que um contrabandista de Bíblias em média é capturado e preso num prazo de dois anos. Ser um obreiro da Linha da Frente nestes países onde servimos é um chamado único, e esses trabalhadores precisam e pedem as nossas orações.

A Bíblia conta-nos no Livro de Êxodo, capítulo 17, como Moisés instruiu Josué para entrar na guerra contra o exército dos amalequitas. Moisés disse que iria ficar no topo da colina, a segurar a vara de Deus na sua mão. Enquanto Moisés mantinha as mãos para cima, Josué e os seus homens ganhavam vantagem, mas quando os seus braços se cansavam e ele os baixava, eram os amalequitas que prevaleciam. Arão e Hur (servos de Moisés) ficavam ao seu lado e levantavam as suas mãos. Como resultado, Josué venceu o exército dos amalequitas.

Talvez esta passagem nos convide hoje a sermos como Arão e Hur, a “segurar nas mãos” destes obreiros da Linha da Frente que levam o reino de Deus para os lugares mais “escuros” do mundo.

Ao fazer uma doação para este Ministério você supre as necessidades básicas de cada obreiro, mas também fornece as ferramentas necessária para a realização deste trabalho, que é difícil e perigoso, mas que precisa ser feito.

Fique com os cristãos perseguidos.

Apoie os cristãos perseguidos nos campos missionários mais difíceis e perigosos do mundo e seja uma voz para eles entre outros membros do corpo de Cristo.

  • 25
  • 50
  • 100
  • 250
  • 500
  • 1000
Categoria: